30
Abr 13


Istambul é hoje, 30 de abril de 2013, a cidade oficial das comemorações do Dia Internacional do Jazz, com a participação de músicos de várias nacionalidades, como o brasileiro Milton Nascimento, mas as celebrações estendem-se a outros países, como Portugal.

O Dia Internacional do Jazz foi lançado em 2012 pela UNESCO para promover uma expressão musical que simboliza "a paz e a unidade", mas, este ano, a organização quer aproveitar a efeméride para afirmar a importância do jazz nos movimentos de luta pela liberdade. 

"Onde há pessoas que lutam pela liberdade, o jazz está quase sempre", afirmou Neil Ford, porta-voz da UNESCO, na mensagem oficial deste dia. 

A diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova, considera que o jazz é "a linguagem universal da paixão e da benevolência, que une populações de culturas, religiões e nacionalidades diferentes", lê-se no comunicado divulgado esta semana. 

Em Portugal, a comissão nacional da UNESCO atribuiu o selo de "evento comemorativo" ao festival Estoril Jazz, que decorrerá em maio.



AS RAÍZES DO JAZZ E A ORIGINAL DIXIELAND JAZZ BAND

Quando se fala nas origens do Jazz o cenário que se depara é obscuro e um pouco incerto. Sabe-se que os elementos que influenciaram o seu nascimento foram trazidos da África pelos escravos, que intervieram de forma significativa ao nível cultural, vindo a criar um novo modo de comunicação e expressão de sentimentos.

A forma mais importante de expressão da música Afro-Americana são as manifestações religiosas, na maioria das vezes ouvidas por plateias brancas (de uma forma mais afectada do que a ouvida nas igrejas negras rurais). O que hoje é conhecido como música gospel é reflexo da importante carga emocional e força rítmica dessas manifestações primordiais. Dessa época são as músicas de trabalho e músicas infantis.

A música negra na América manteve muito do original Africano no que diz respeito às suas características rítmicas e também na tradição de colectividade e improvisação. Esta herança misturou-se com a música local, gerando muito mais que um novo estilo, uma nova forma de expressão musical, que ganha um peso cultural ainda maior quando lembramos que a actividade musical era proibida entre os escravos. Com a libertação dos escravos, a música Afro-Americana cresceu rapidamente.


A disponibilidade de instrumentos musicais, incluindo refugos de bandas militares, e a liberdade recém-conquistada, permitiu o nascimento das raízes básicas do jazz: as bandas de metais, a dança e o blues.
Na década de 1910, a Original Dixieland Jazz Band constitui um marco importante na afirmação do Jazz, realizando concertos, digressões e gravações musicais.

“The first great jazz orchestra was formed in New Orleans by a cornet playernamed Dominick James La Rocca. They were the hottest five pieces that had ever been known before. They all came to be famous players and the Dixieland Band has gone down now in musical history.”
Louis Armstrong, 1936. Swing That Music

MARIA CRISTINA AGUIAR,  docente na Escola Superior de Educação e no Conservatório Regional de Música Dr José Azeredo Perdigão, em Viseu.
CLÁUDIA CRISTINA MARQUES VASCONCELOS BORGES, professora de Formação Musical na Academia de Música de Vilar de Paraíso.
publicado por Isabel Botelho às 10:23

1 comentário:
“The first great jazz orchestra was formed in New Orleans by a cornet playernamed Dominick James La Rocca. They were the hottest five pieces that had ever been known before. They all came to be famous players and the Dixieland Band has gone down now in musical history.”
Louis Armstrong, 1936. Swing That Music
O LADO B por Isabel Botelho a 30 de Abril de 2013 às 10:57

Abril 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9


25
26

28


mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO