05
Mai 14

 

Uma das primeiras citações sobre bolsa feminina, encontra-se na Bíblia, no livro de Isaías, capítulo 3:16, que diz:
Naquele dia tirará o Senhor os seus enfeites: os anéis dos artelhos, as toucas, os colares em forma de meia-lua, os brincos, os braceletes, os vestidos, os diademas, as cadeias dos artelhos, os cintos, os amuletos, as caixinhas de perfumes, os mantos, os xales, as bolsas, os espelhos as capinhas de linho e as tiaras.
(Essa palavras foram escritas entre os anos de 750 a.C.)
O Alforje- era um saco de couro que podia ser usado na cintura, nos ombros ou na sela dos animais. O alforge era a bolsa, utilizada principalmente pelos homens, que servia para carregar alimentos ou dinheiro durante a Idade Antiga.
 
 

Na atualidade a bolsa, ou mala de mão, é praticamente a extensão do corpo de uma mulher.

Fiel detentora de segredos e intimidades, a bolsa reflete a personalidade de sua dona, desde o interior, com suas organizações peculiares, até ao seu exterior, que transmite um pouco daquilo que ela deseja aparentar.

 

 



 
    
Mas nem foi sempre assim, houve épocas em que as mulheres viviam muito bem sem elas.
Mala David Jones, da ML Bolsas
Não acredita? Não é possível dizer exatamente quando surgiu a mala de mão, mas alguns registos históricos,  dão-nos a ideia de que é tão antiga quanto a própria civilização humana.

Nas pirâmides do Egipto há desenhos que mostram pessoas usando pequenos sacos,  presos à cintura, amarrados com cordões. 


Bolsa da CROMIA, comprada na ML Bolsas.

publicado por Isabel Botelho às 20:15

Maio 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
13
15
16
17

18
19
20
21
22
23

26
27
28
29
30
31


mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO