25
Mai 14

 

Todas as artérias, da cidade de Ponta Delgada, por onde passa a procissão do Senhor Santo Cristo dos Milagres, realizada, todos os anos, no quinto domingo, a seguir à Páscoa, são carinhosamente engalanadas com artefatos festivos como bandeiras, algumas feitas à medida, com este propósito; arranjos florais; vistosas e ricas colchas - bordadas sobre nobres materiais, tricotadas em croché, ou lindas mantas de retalhos, criativamente conjugados em tiras e quadrados, formando caprichosos desenhos geométricos - que são exibidas nas varandas ou nas janelas.

 





 

 

 

 

Semanas antes da procissão, o Mosteiro da Esperança, todos os anos apresenta belissímas combinações de arranjos. A Praça 5 de Outubro, mais conhecida por Campo de São Francisco, e seus arredores, são preparados e enfeitados criteriosamente, com milhares de lâmpadas, numa profusão de cores zelosamente combinadas; com mastros, que ostentam bandeiras, e até com flores e verduras, conferindo ao espaço um deslumbrante ar de festa.

 

 

 Mas são os tapetes coloridos, meticulosamente compostos com flores, ramagens, serradura e farelo tingido, nas mais garridas cores, que forram o chão, para a passagem do Senhor, que anunciam a importância da procissão e atestam a devoção dos habitantes de Ponta Delgada. É uma tarefa que envolve muitas pessoas, num trabalho realizado ainda na manhã de domingo, mas que requereu uma criteriosa preparação, nos dias que o antecederam.



 
 

O trânsito automóvel é interrompido, sendo as ruas vedadas, permitindo aos habitantes da cidade de Ponta Delgada, a criação dos tapetes coloridos,  que são autênticas e efémeras obras de arte popular, que cobrem o chão por todo o trajeto da procissão.

A maioria dos tapetes requer uma estrutura, que serve de molde, na sua execusão.


 
 

 



 


















 

 


 Imagem do coreto captada o ano passado, quando ainda era redeado por um lago, que, quanto a mim deveria ter sido mantido.
O Coreto depois das obras, já sem o lago.

 

 

 

 
 
Largas centenas de pessoas assiste ou incorporam-se na procissão, que tem uma ordem específica e rigorosa. 
A abrir, o guião, com a coroa de espinhos dourada, ao que se segue duas longas filas, por vezes colunas, de homens com opas, muitos com círios, outros descalços, no cumprimento de promessas, intercalados por bandas filarmónicas. 

 

 

Seguem-se associações juvenis, transportando guiões de cores garridas, crianças vestidas de anjos, alunos do seminário, o clero micaelense e sacerdotes convidados, todos eles a precederem a veneranda imagem do Senhor Santo Cristo dos Milagres, transportada sob um docel de veludo e ouro, num trono decorado de delicadas flores tecidas em seda e pano, muitas ainda no século XVIII.
O cortejo continua e, após a imagem, seguem-se os dignatários da Igreja Católica, representantes das congregações religiosas sediadas em S. Miguel e centenas de senhoras, vestidas de escuro - quase sempre preto - no cumprimento de promessas. Muitas seguem descalças, com véus negros a cobrir a cabeça e, são às dezenas as que transportam uma carga de círios, nalguns casos o correspondente ao seu próprio peso, como sinal de agradecimento por uma graça recebida do Senhor.
A fechar o extenso cortejo, seguem-se as mais altas autoridades militares e civis, representações e associações sociais e desportivas.
 
A grande procissão recolhe, já quase de noite, mais de quatro horas depois da circulação, num trajeto definido há muitos anos, pelas principais ruas de Ponta Delgada.
 
A grandiosa procissão do Senhor Santo Cristo dos Milagres, tem um giro tradicional percorrendo Ruas e Praças. 
Habitualmente, sai da Igreja de Nª. Senhora da Esperança e contornando o Campo de São Francisco, Rua Luís Soares de Sousa, Rua Açoriano Oriental, Praça da República, Rua dos Mercadores, Rua Ernesto do Canto, Rua Tavares Canário, Rua do Peru, Rua do Mercado, Rua de São João, Rua João Moreira, Rua Dr. Guilherme Poças, Largo do Colégio, Rua Carvalho Araújo, Rua Machado dos Santos, Rua Marquês da Praia e Monforte, Rua 6 de Junho, Rua 16 de Fevereiro, Largo 2 de Março, Rua Diário dos Açores, Rua Dr. Mont'Alverne de Sequeira, recolhendo em seguida ao Convento.
Isabel Botelho
 
publicado por Isabel Botelho às 12:03

24
Mai 14

 

É no Santuário da Esperança, em Ponta Delgada, onde está guardada a veneranda imagem do Senhor Santo Cristo dos Milagres, que se esconde, durante todo o ano, o tal tesouro de valor incalculável, em ouro e pedras preciosas.

 

O tesouro do Senhor Santo Cristo dos Milagres é um conjunto de joias ímpares em Portugal, de importância religiosa e cultural, para a cidade de Ponta Delgada, em particular, e para os Açores, em geral, que o torna um dos mais preciosos da Península Ibérica.
 
 
O património não está devidamente avaliado, porque todos os anos é enriquecido com ouro e pedras preciosas, oferecidos por sucessivas gerações de devotos, sobretudo emigrantes. É um espólio de milhões de euros, resguardado de olhares indiscretos, que só pode ser visitado mediante visita guiada.
O corpo principal do tesouro do Senhor Santo Cristo, que remonta ao século XVIII, é formado pelo resplendor, pela coroa de espinhos, pelo relicário, pelo ceptro e pelas cordas.
 
O resplendor é considerado a peça mais rica, uma espécie de ex-libris, já fotografado e documentado por especialistas internacionais em arte, com a distinção - obtida num congresso realizado em Valladolid, (Espanha) - de peça mais valiosa do seu género, na Península Ibérica.
Está revestido em platina cromada de ouro e pesa quase cinco quilos, ostentando 6842 pedras preciosas, que vão desde rubis e topázios, incluindo safiras. O seu valor artístico é complementado pelo símbolo religioso da Santíssima Trindade.

 

 
A coroa de espinhos é a peça mais sensível. É revestida a ouro, tem 800 gramas e 1082 pedras preciosas, todas meticulosamente trabalhadas, onde os próprios espinhos são pequenas pedras, que reduzem de tamanho nas extremidades.
O relicário nunca sai de onde foi colocado: o peito da imagem. Serve para guardar o Santo Lenho, que se acredita ser uma farpa da verdadeira cruz na qual Jesus foi crucificado. 

 

 O ceptro é uma peça incontornável. Possui 2000 pérolas, que compõem uma "maçaroca de cana" e ainda, 993 pedras preciosas, ao longo do tronco.
 
As cordas têm mais de cinco metros de extensão e definem-se como duas voltas de pérolas e pedras preciosas enroladas em fio de ouro. 

 

No ano de 2013, duas exposições alusivas ao Senhor Santo Cristo dos Milagres, estiveram patentes ao público, nos Paços do Concelho: uma intitulada “Senhor Santo Cristo dos Milagres: a difusão da imagem…” e outra designada “Um Olhar no Tesouro do Senhor”. José Manuel Bolieiro, presidente da Câmara Municipal, na inauguração de tais exposições, referiu-se à importância do turismo religioso para Ponta Delgada e para os Açores em geral, sublinhando que: “é necessário haver uma maior promoção e divulgação do vasto e riquíssimo legado histórico do Senhor Santo Cristo dos Milagres. Trata-se de uma oferta turística de caráter religioso que não pode ser descurada e que, com certeza, atrairá, mais pessoas à nossa cidade e à nossa ilha”. 
Isabel Botelho
 

 

publicado por Isabel Botelho às 10:41

14
Mai 14

 

 

 

Já se joga para a final da Liga Europa, a chamada final ibérica, entre as equipas do Benfica e do Sevilha que joga em casa. o jogo decorre no Estádio de Turim.
A equipa portuguesa, cujo treinador é Jorge Jesus, está a ser apoiada por muitos adeptos benfiquistas e não só, que, segundo consta ocupam grande parte do estádio que está com a lotação esgotada.

 

O objetivo, claro está é trazer para Portugal a bonita taça, ou o "caneco", expressão utilizada por muitos jornalistas.

 

A taça, embora sendo uma peça elegante, pesa 15 Kg. É de prata com a base em ouro.

 

 

Que venha mais este "caneco" para Portugal. Neste caso a Vitória agradece!
O seu ecletismo, historia e forte base de adeptos fazem do Benfica um dos maiores clubes de Portugal, e um dos mais prestigiados a nível mundial. As estimativas em relação ao número de adeptos apontam para cerca de 14 milhões espalhados por todo o mundo. Segundo o Guinness, o Benfica é atualmente o clube do mundo com mais sócios ativos, cerca de 160 000 em 2006, atingindo em 2011 os 235 000 sócios. Foi considerado pela IFFHS como o nono melhor clube europeu do século XX e foi eleito pela FIFA o 12.º maior clube de futebol do século XX, sendo o primeiro entre os clubes portugueses. Segundo a BBDO, a marca Benfica ocupava, em 2007, a 17.ª posição das marcas de futebol mais valiosas da Europa.
A principal modalidade do clube é o futebol, mas distingue-se também noutras, como o andebol, o basquetebol, o futsal, o hóquei em patins, o voleibol, entre outras. 
Nos seus equipamentos utiliza como cores principais o vermelho e o branco e como símbolo uma águia.

 

Isabel Botelho
publicado por Isabel Botelho às 19:55

12
Mai 14

 O abraço é um dos principais gestos de afeto, que permite vivenciar, ao mesmo tempo, uma sensação agradável de conforto e de proteção.

 

Além disso, o abraço é um ato de carinho universal, pois pode ser dado e recebido por qualquer pessoa.

Por que abraçar faz bem à saúde?

 

O ato de abraçar é muito importante nas relações interpessoais, porque ativa diretamente as regiões temporais e frontais do cérebro, onde se libertam substâncias, como a dopamina e serotonina, que estão ligadas às sensações de bem estar e de prazer.

 

 

 

 

Além de estreitar as relações entre as pessoas e promover a empatia entre elas, o abraço também pode ser um grande aliado no combate ao stresse. Alguns estudos revelam que o abraço diminui os níveis de algumas hormonas ligadas ao stresse, podendo ajudar a diminuir a tensão arterial e, consequentemente, o risco de desenvolver doenças cardíacas. Isso porque aumenta no sangue a quantidade de uma hormona designada ocitocina.

 

 

 

A propósito da terapia do abraço, o psicoterapeuta mexicano Omar Villalobos afirma tratar-se de uma técnica terapeutica impulsionada pelo contato físico, “pelo toque”, cujo objetivo é o de curar um simples desalento, ou o de fazer com que alguém doente se sinta fortalecido. Os defensores dessa terapia enfatizam que os benefícios englobam tanto o aspeto físico, como o emocional, destacando as reações físicas, comprovadas decorrentes do ato de abraçar: quando abraçamos com ternura, o corpo liberta dopamina, endorfinas e oxiticina, químicos que impulsionam o bem estar.

 

Mas o efeito benéfico só ocorre quando o abraço é sincero e o ato for desejado por quem abraça. Segundo uma pesquisa da Universidade de Viena de Áustria, divulgada pelo jornal Daily Mail, abraçar apenas por educação, pode não ter esse efeito benéfico.

”O efeito positivo acontece se as pessoas confiam umas nas outras, se os sentimentos associados são mútuos e se outros sinais estão incluídos. Se as pessoas não se conhecem, e o abraço não é desejado por ambos, o efeito é perdido”, afirmou o neurologista Jürgen Sandkühler ao jornal.

 

 

Outras pesquisas mostram ainda que, como abraçar contribui para o aumento da tal substância chamada oxitocina, que é geradora de bem estar, quanto mais a pessoa é abraçada, mais bem disposta fica e mais abraços vai querer, beneficiando dos bons efeitos que esse gesto tráz, criando assim um hábito saudável.

 

Do mesmo modo, que o abraço atua a nível hormonal, também tem implicações positivas nos sentimentos de cada um. Ao receber um abraço, a pessoa sente-se confortada e acolhida. Até em casos de depressão, está reconhecida a eficácia do abraço, pois a pessoa sente-se mais fortalecida para tentar reverter o estado em que se encontra.

 

 

 

O abraço e os relacionamentos

É aconselhável que os membros de uma família se abracem pelo menos uma vez por dia. Tal hábito ajuda a gerar maior proximidade e união familiar. De tão atarefada que está, muitas vezes, a família acaba por ter pouco contato, perdendo oportunidades de transmitir atos de carinho entre si.

 

 

É muito importante que as crianças sintam o conforto do abraço dos seus pais e irmãos, se os tiverem, pois são os seus primeiros modelos de referência e a sua principal fonte de carinho e atenção.

 

 

 

O abraço também é benéfico entre casais. Inclusivamente, alguns psicólogos consideram, que abraçar é até mais importante do que beijar. Quando duas pessoas se abraçam, o sentimento que é reforçado é o de que não há diferenças ou barreiras que as separe, e isso é imprescindível para o sucesso dos relacionamentos.

 

 

Além de todos esses fatores positivos relacionados com o abraço, também pode servir para alegrar o dia de alguém. Abrace quem não espera por este gesto, como um colega de trabalho, ou uma pessoa mais velha, desde que aja ambiente que se proporcione a isso. A pessoa acabará por sorrir e o clima tende a ficar mais saudável e leve.

Não restam dúvidas de que o abraço é um dos gestos de carinho mais importantes da humanidade, que é compreendido por qualquer pessoa, de qualquer nacionalidade, idade, raça, religião ou crença .

Abuse dos abraços e usufrua do bem estar que podem proporcionar.

 

Isabel Botelho

publicado por Isabel Botelho às 00:00

05
Mai 14

 

Uma das primeiras citações sobre bolsa feminina, encontra-se na Bíblia, no livro de Isaías, capítulo 3:16, que diz:
Naquele dia tirará o Senhor os seus enfeites: os anéis dos artelhos, as toucas, os colares em forma de meia-lua, os brincos, os braceletes, os vestidos, os diademas, as cadeias dos artelhos, os cintos, os amuletos, as caixinhas de perfumes, os mantos, os xales, as bolsas, os espelhos as capinhas de linho e as tiaras.
(Essa palavras foram escritas entre os anos de 750 a.C.)
O Alforje- era um saco de couro que podia ser usado na cintura, nos ombros ou na sela dos animais. O alforge era a bolsa, utilizada principalmente pelos homens, que servia para carregar alimentos ou dinheiro durante a Idade Antiga.
 
 

Na atualidade a bolsa, ou mala de mão, é praticamente a extensão do corpo de uma mulher.

Fiel detentora de segredos e intimidades, a bolsa reflete a personalidade de sua dona, desde o interior, com suas organizações peculiares, até ao seu exterior, que transmite um pouco daquilo que ela deseja aparentar.

 

 



 
    
Mas nem foi sempre assim, houve épocas em que as mulheres viviam muito bem sem elas.
Mala David Jones, da ML Bolsas
Não acredita? Não é possível dizer exatamente quando surgiu a mala de mão, mas alguns registos históricos,  dão-nos a ideia de que é tão antiga quanto a própria civilização humana.

Nas pirâmides do Egipto há desenhos que mostram pessoas usando pequenos sacos,  presos à cintura, amarrados com cordões. 


Bolsa da CROMIA, comprada na ML Bolsas.

publicado por Isabel Botelho às 20:15

04
Mai 14
 
Em Portugal, no primeiro domingo de maio é celebrado o Dia da Mãe, data que outrora recaía no dia 8 de dezembro, dia da imaculada Conceição.

As primeiras sugestões em prol da criação de uma data para homenagear as mães foram dadas pela ativista Anna Maria Reeves Jarvis que organizou, em 1865, os Mother's Friendship Days(dias da amizade para as mães), para melhorar as condições dos feridos na Guerra da Secessão que assolou os Estados Unidos naquela altura.

 

 

Anos atrás, em 1858, Jarvis havia fundado os Mothers Days Works Clubscom o objetivo de diminuir a mortalidade de crianças em famílias de trabalhadores.

Em 1870, a escritora Julia Ward Howeautora de O Hino de Batalha da República, publicou o manifesto Mother's Day Proclamation, onde pedia a paz e o desarmamento, depois da Guerra da Secessão.
Mas, quem ficou reconhecida como tendo sido a precursora do Dia da Mãe, da forma como o conhecemos na atualidade, foi a metodista Anna Jarvis, filha de Ann Maria Reeves Jarvis, que em 12 de maio de 1907, dois anos após a morte de sua mãe, criou um memorial à sua mãe e iniciou uma campanha para que o Dia da Mãe fosse um feriado reconhecido.
A sua intenção teve sucesso obteve sucesso, nos Estados Unidos, em 8 de maio de 1914, quando a resolução Joint Resolution Designating the Second Sunday in May as Mother's Day foi aprovada, pelo Congresso dos Estados Unidos. O segundo domingo do mês de maio ficou então instituído como Dia da Mãe. No âmbito desta resolução o Presidente dos Estados Unidos, Thomas Woodrow Wilson, proclamou, no dia seguinte, que no Dia das Mãe os edifícios públicos deveriam ser decorados com bandeiras. O Dia da Mãe foi celebrado pela primeira vez em 9 de maio de 1914.
Com a crescente difusão e comercialização do Dia das Mãe, Anna Jarvis afastou-se do movimento, lamentando até a criação do dia tendo inclusivamente opinado a favor da  abolição do feriado.


 

 
 
 
publicado por Isabel Botelho às 16:00

Maio 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
13
15
16
17

18
19
20
21
22
23

26
27
28
29
30
31


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO